Com investimentos de R$ 14 bilhões, operadora TIM lança nova marca

Com investimentos de R$ 14 bilhões em infraestrutura nos próximos três anos, 60% na tecnologia 4G, a TIM anunciou ontem que vai se reinventar para entregar mais qualidade aos consumidores. A partir deste domingo (17/4), será conhecida a campanha de marketing da nova logomarca da empresa, que promete marcar a transformação da operadora.

Em um evento que levou atrações internacionais a São Paulo – entre eles o criador do aplicativo Waze, Uri Levine, e o jornalista Glenn Greenwald, que divulgou o vazamento de informações de Edward Snowden no jornal The Guardian –, a TIM quis vincular sua imagem ao compromisso com inovação, transparência, pioneirismo, qualidade e coragem.

O presidente da TIM Brasil, Rodrigo Abreu, destacou que objetivo é acabar com a má impressão que os consumidores têm das operadoras. “As pessoas adoram seus celulares e odeiam as operadoras”, comentou. “Queremos mudar isso. Vamos fazer diferente”, emendou, antecipando o novo slogan da companhia no país.

Abreu ressaltou que a TIM descomplicou os planos, não tem letras pequenas em contratos e é a operadora menos reclamada do mercado. “Estamos com nosso plano de investimentos de R$ 14 bilhões, 60% na tecnologia 4G, mas continuaremos investindo em 3G”, disse. A TIM passou de uma cobertura com 4G de 40 cidades no início de 2015, para 412 municípios em 2016. Para Abreu, o que deve desaparecer do mercado é o 2G. “Vai se restringir muito”, disse.

Com banda larga fixa oferecida a apenas 300 mil consumidores de São Paulo e Rio de Janeiro, portanto com uma das menores fatias do serviço do mercado, a TIM garante que não vai estipular franquia, como querem as outras operadoras, prejudicando os clientes, que terão limite para usar o Wi-Fi se a proposta emplacar no país. “Nosso serviço de banda larga fixa é pequeno, mas não estamos mudando as regras. Não vamos colocar franquia”, garantiu.

Abreu explicou que o objetivo da empresa é entregar o que promete, com a maior qualidade possível. “Queremos mudar a relação com o usuário. O setor tem que reconhecer que o atendimento é ruim. São contas não entendidas, reclamações não atendidas, problemas que demoram para ser remediados. E não estou excluindo a TIM disso. Mas o modelo não tinha transparência. Nossa missão é mudar isso. E começamos dentro de casa, na cultura da empresa”, assinalou.

A mudança da logomarca, afirmou Abreu, foi mais uma “desculpa” para anunciar o novo reposicionamento. “Estamos aproveitando da mudança do grupo para deixar público o nosso compromisso de melhorar”.

O novo logo foi criado em colaboração com a Interbrand para a Telecom Italia, que unificou sua marca no início deste ano, passando a contar apenas com o nome TIM para todas as suas subsidiárias. O símbolo tem design simples, com um ícone vermelho que forma a letra T, mais alinhado ao universo digital. A assinatura, que o público vai conhecer a partir deste domingo, será “Evoluir é fazer diferente”.

Fonte: Correio Braziliense

Print Friendly
Pinterest